terça-feira, 2 de dezembro de 2008

Isto

Isto é tudo um sonho do qual um dia se há-de acordar. Somos todos homens e mulheres das cavernas, esfomeados e mal-cheirosos que nem o fogo conhecemos, quanto mais este mar de tudo.

Isto é tudo um sonho e metade do que sonhámos, do que sonhamos, não há, como nos sonhos que vamos tendo dentro deste. Naqueles onde as nuvens se comem e sabem a algodão-doce, naqueles onde cheira a café acabado de fazer, nesses.

Isto é tudo um sonho e o "para sempre" não existe, nem a noção de tempo, de tempos. Nada!

Nos sonhos há sempre uma parte em que se acorda. Gosto especialmente quando caio de uma qualquer altura para o chão.

1 comentário: