sexta-feira, 20 de fevereiro de 2009

Clio

há uma linha-fio-se-seda à qual não se pode fugir nunca. as aranhas são muitas e todas "falam" com todas como se toda a vida fosse um qualquer "complot" engendrado por elas. recuso-me a matar uma aranha que seja. nem sei bem porquê, mas a história da teia fascina-me desde sempre.

1 comentário:

  1. engraçado.
    uma vez demorei imenso tempo a decidir se matava uma aranha muito gorda que estava do outro lado da porta. disse que não. depois achei que ela podia entrar pela frincha do chão. ela entrou.

    não gosto de saber que os bichos andam a passear-se em mim quando durmo.

    matei-a e senti-me culpada. perguntei se estaria louca. apartir daí passei a apanhá-las com copos e folhas e a pô-las ao ar livre.

    que estupidez.

    ResponderEliminar